sexta-feira, 19 de maio de 2017

SOBE O SOM: ALMIR GUINETO


Almir de Souza Serra (Rio de Janeiro, 12 de julho de 1946 – Rio de Janeiro, 5 de maio de 2017) foi um sambista e compositor brasileiro.

Fundador do Fundo de Quintal, Almir Guineto foi um dos maiores representantes do samba de raiz. Além disso, Almir inovou o samba ao introduzir o banjo adaptado com um braço de cavaquinho. Destacou-se também pelo modo extremamente original de executar o instrumento, afinando-o à moda das últimas cordas do violão e palhetando-as velozmente, fazendo-as tremular conforme o suingue do repique de mão e do tantan. O Guineto de seu apelido é uma derivação da palavra magnata, que evoluiu para magneto e, então, Guineto. Na década de 1970, Almir já era mestre de bateria e um dos diretores da Salgueiro e fazia parte do grupo de compositores que frequentavam o Bloco Carnavalesco Cacique de Ramos. Em 1979, Almir mudou-se para a cidade de São Paulo para se tornar o cavaquinista dos Originais do Samba.

Almir Guineto morreu em 5 de maio de 2017, no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, no Rio de Janeiro, em decorrência de complicações provocadas por insuficiência renal crônica. A doença havia sido diagnosticada no final de 2015, e desde junho de 2016 o sambista estava afastado dos palcos. Foi sepultado dois dias depois no Cemitério de Inhaúma, após ser velado na quadra do Salgueiro.

Então vamos lá!! Sobe o som pra saudade!!


Sobe o som Almir Guineto!!


Conselho


Só pra contrariar


Caxambu


Insensato destino - Com Zeca Pagodinho


Mel na boca - Com Jorge Aragão


Lama nas ruas


Mãos - Com Dorina


É pois é


Meiguice descarada


Brilho no olhar


Saco cheio


Jibóia


Mordomia


Bem. Aí está um pouco da história desse sambista imortal. Semana que vem tem novela inesquecível que reestreou no "Viva". Tem "Por amor".


Enquanto isso agradeço a Deus porque lhe fez.


SOBE O SOM ANTERIOR:

TIETA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário